quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Um novo Messias?

Na última terça-feira (04/11) fez-se história. Barack Hussein Obama foi eleito o primeiro presidente negro da história estadunidense. A cobertura da imprensa mundial foi maciça, tanto que as principas emissoras de rádio e tv mandaram seus "melhores" jornalistas. Foi evidente o entusiasmo da imprensa brasileira com a vitória de Obama, fato só não observado em países com proximidade maior pelo lado republicano, como Japão e Israel. Esta eleição foi marcante pricipalmente por envolver um candidato negro que tinha chances reais de chegar a Casa Branca.

Os principais analistas e especialistas dizem que o mundo está e será melhor com Obama. Eu acho que o mundo será melhor porque estaremos também sem o Bushinho. Para os brasileiros não haverá grandes diferenças. Talvez até piore as relações comerciais envolvendo, por exemplo , o etanol brasileiro.

Historicamente os democratas são mais protecionistas com seus agricultores do que os republicanos. Estes sim adoram e entendem é de petróleo. Já que não exportaremos etanol pro EUA, podemos diversificar nossa carteira de produtos. Talvez mangas, porque de mangas eu entendo e estamos na época. Quem não acreditar pergunte ao Daniel Farinha.

Falemos sério. Voltando a eleição americana, a importância foi dada pricipalmente porque Obama é negro. Acredito que isto não deveria ser levado como relevância. Deveria ser observada a conduta ética durante a campanha, seu caráter, carisma e índole, e não seu tom de pele. E ele demonstra que têm todas elas. Mas vivemos no Brasil, onde foi eleito um presidente da República apenas com o nível primário de escolaridade.

Obama é formado em direito por Havard. Será que um diploma garante se um político será melhor que o outro que não o possua ? Não, mas ajuda. Mas além do grau de escolaridade que influencia uma candidatura como a de Obama, o fator principal para os americanos votarem nele era também a cor da pele. Diferentemente de nós braileiros, mixigenados e com uma população negra maior que a americana, somente eles sabem o que é a segregação na sociedade americana.

Como brasileiro e distante da disputa, tenho uma visão talvez equivocada da situação, mas é bastante provável que muitos eleitores votaram no democrata para "redimir" os erros do passado em relação a população negra (13% da população). Os eleitores do canditado derrotado John McCain, majoritariamente são brancos, dos estados mais ruralistas, conservadores e protestantes. Obama, além de ser negro, vêm com idéias que contradizem o "american way of life", é a favor do aborto, do casamento entre pessoas do mesmo sexo, e provavelmente, relacionará melhor com o "eixo do mal" (Irã, Coréira do Norte e mais alguém que não lembro, mas que fabrica bomba atômica).

Como disse nas primeiras linhas fico feliz pelo mundo em se livrar de Bush. E eleger Obama, ainda que indiretamente (não falei do processo eleitoral americano, confuso e atrasado, fica pra próxima). Cito alguns filmaços que não tiveram tanta repercussão na mídia e bilheteria, mas sintetizam toda essa história.

O primeiro é Farenheit 9/11, de Michel Moore, filme documentário no qual é explicitado os motivos pelo qual o governo dos EUA (vide George W. Bush) tiveram todos os recursos para impedir os ataques de 11 de Setembro de 2001, mas não fizeram. Umas das cenas mais hilariantes e quando Moore mostra através de um close de câmera uma pasta com informações da CIA que uma organização terrorista preparava um ataque aos EUA. Quando um de seus assessores entregam a pasta p/ Bush, e ele simplesmente a coloca embaixo do braço e continua seu joguinho de golf durante suas férias em seu rancho no Texas. Esta cena demostra o quanto despreparado era para dirigir o país mais importante do mundo.



O segundo filme é Mississipi em chamas, com Gene Hackman e Willem Dafoe, que conta a estória de dois agentes do FBI que investigam a morte de alguns jovens negros na racista Mississipi dos anos 60. O filme retrata também que as famílias negras não podiam sequer frequentar a igreja e em bares deveriam ficar no fundo do estabelecimento e separados dos brancos. Sem contar a Ku Klux Kan (KKK), seita racista homofóbica e xenófoba retratada no filme. Dois excelentes filmes que demostram o que é viver nos EUA.

Por isso que a eleição de Barack Obama traz tanta esperança para o mundo. Que ele consigua mudar esta relação entre os próprios americanas e que nas próximas eleições não seja lembrado apenas como "o primeiro presidente negro dos EUA" e sim como alguém com mais competência p/ gerir uma nação.

Aguardemos e torcemos por ele.

Abraços Danilo Duff.

5 comentários:

Tiago Moralles disse...

Se depender do retrospecto, teremos que torcer muito mesmo: http://tfmoralles.blogspot.com/2008/11/eu-vejo-o-futuro-repetir-o-passado.html
Bom post.
Abraços.

Anônimo disse...

Obrigado pelo comentário Thiago.
Gostei tb do seu post sobre o assunto. Através dos exemplos citados, é emblemático como os EUA são previsíveis em relação a sua história.

Independente da posição partidária, (atualmente apartidária, no meu caso) devemos realizar este tipo de debate e mostrar que podemos tb falar sobre política e economia no blog, mesmo sendo uma área totalmente diferente da minha formação.

O blog/site é justamente para mostrarmos nossa opinião, mesmo que divergente e distorciada, mas apenas opinião.

Danilo Duff.

Anônimo disse...

Tenho visto pessoas esperando verdadeira que o Obama mude a política externa americana da água para o vinho. Lamento informar mas canto a pedra desde já que isso não vai acontecer. E não vai, porque os EUA são super potência.
E super potência, para se manter como tal, tem que ter sempre aquela coisa dominadora. É claro que no caso do Bush, era demais. Mas é claro que o fato de um negro chegar à presidência dos Estados Unidos é um marco histórico. Principalmente para pessoas assim como eu que embora seja branco, tenho um trabalho pela igualdade racial.

Carlos Henrique.

Cristopher disse...

Ae cara tudo bem?
Nao torço por ele Osama, na verdade espero que aquele paísinho de merda exploda - ja ta explodindo com a bolsa!
Mas sempre é bom ler sobre politica e ver outras visoes... e por acaso vc é um dos poucos q se atreve a escrever sobre poltica aqui, tá de parabéns cara - pq escrever sobre show qualquer groupie pode fazer!!!
eu disse vc é um dos poucos? acho q voce foi o único que escreveu sobre politica até agora... continue, só assim pro site ficar ainda mais diversificado! VALEU

Anônimo disse...

Obrigado pelo comentário Cristopher!

Com toda certeza continuaremos com textos sobre políica e economia, e tb música.

Toda vez que falo s/ estes assuntos eu sempre ressalto:
"... o blog é direcionado p/ cultura, dentre estes a política e a economia, apenas mostrando nossa opinião".

Não sou espcialista nestes assuntos (minha área de atuação é outra), mas como todo brasileiro gostamos de dar pitacos.

Abraço!

by TemplatesForYouTFY
SoSuechtig, Burajiru